Processo de Consulta Interna IFPR

17 de mar de 2014 - I - exoneração ou demissão, de acordo com a Lei no 8.112, de 11 de dezembro de 1990;. II - posse em outro cargo não acumulável;.

Processo de Consulta Interna IFPR • Eleição do reitor Colombo 2011-2015

O que diz a Lei Lei 11.892/08 ●

“Art. 12. Os Reitores serão nomeados pelo Presidente da República, para mandato de 4 (quatro) anos, permitida uma recondução, após processo de consulta à comunidade escolar do respectivo Instituto Federal, atribuindo-se o peso de 1/3 (um terço) para a manifestação do corpo docente, de 1/3 (um terço) para a manifestação dos servidores técnico-administrativos e de 1/3 (um terço) para a manifestação do corpo discente”.

Diferença entre renúncia e vacância Lei 11.892/08

“Art. 12. ... § 2º O mandato de Reitor extingue-se pelo decurso do prazo ou, antes desse prazo, pela aposentadoria, voluntária ou compulsória, pela renúncia e pela destituição ou vacância do cargo”. s.f. Ação ou efeito de renunciar: renúncia do presidente. Jurídico. Abdicação do direito que, demonstrado pelo titular, não transmite esse direito a um terceiro.

s.f. Estado do que se apresenta, ou ficou vago. Cargo ou emprego enquanto não é preenchido.

Como são tratadas a renúncia e a vacância no Decreto 6.986/09 “Art. 12. Os mandatos de Reitor e de Diretor Geral de câmpus serão extintos nas seguintes hipóteses: I - exoneração ou demissão, de acordo com a Lei no 8.112, de 11 de dezembro de 1990; II - posse em outro cargo não acumulável; III - falecimento;

IV - renúncia;

V - aposentadoria; e VI - término de mandato. § 1º Na ocorrência de vacância do cargo de Reitor ou de Diretor-Geral de câmpus antes do término do respectivo mandato, assumirá o seu substituto, que adotará as providências para a realização, em prazo não superior a noventa dias, de novo processo de consulta. § 2º O candidato eleito no processo de consulta referido no § 1º exercerá o cargo em caráter pro tempore, pelo período correspondente ao restante do mandato do seu antecessor”.

O que houve (fato concreto)

A renúncia do ex-reitor. Não houve, portanto, vacância e, sim, extinção do mandato, motivada por um ato de renúncia. Extinto: “não resta o quê completar daquilo que está morto.”

O que houve Com a Resolução 01/2011, o Conselho Superior do IFPR (Consup) encaminha as eleições para reitor para mandato de quatro anos (20112015).

O que houve • Os candidatos Irineu Mário Colombo e Boanerges Cândido da Silva fazem campanha para 4 anos, conforme Res. 01/2011. • Colombo é eleito, com 78% dos votos; • Consup encaminha resultado para a SETEC/MEC;

• SETEC/MEC emite Parecer em que confirma o mandato por 4 anos; • Conjur do MEC emite Nota Técnica em que confirma mandato por 4 anos; Tanto o Parecer da SETEC quanto a Nota Técnica da Conjur do MEC sanam o erro material produzido na Ata da Eleição bem como na Resolução 10/2011, que, em desconformidade com a Resolução 01/2011, citaram mandato de 3 anos;

O que houve •

Subchefia para Assuntos Jurídicos da Casa Civil emite Parecer em que confirma mandato por 4 anos;



Presidenta Dilma nomeia Colombo por quatro anos;

O equívoco Nov/2013: o Reitor pró tempore do IFPR encaminha à SETEC indagação do Sindiedutec (Ofício nº 300/2013), acostando tão somente a Ata da Eleição, a Resolução 010/2011 e o Decreto 6986/2009;

Jan/2014: a Setec apresenta Nota Técnica em que não nega os 4 anos, mas faz questionamentos sobre o fato à Conjur/MEC.

Nos dois eventos, comete-se uma falha grave: não é buscado o processo original 23411.000099/11-74, que detalha a Consulta Interna para escolha do reitor em 2011, incluindo a Resolução 01/2011 e demais notas técnicas e pareceres emitidos pelo MEC e Casa Civil.

O equívoco • Fev/2014: a Conjur do MEC emite Parecer somente com base no Decreto, na Ata e na Resolução 010/2011;

• 24 de fevereiro: a SETEC, em reunião, informa que há “apenas uma minuta do Parecer”, baseado unicamente no Decreto 6986/09, e que ouviria, antes da decisão final, o IFPR; • Nesta reunião, a SE