Manual para Execução da ES 030609 - Copel

Características Gerais da Entrada de Serviço. 4.1. Componentes do Padrão Construtivo Tipo D – Medição em Poste - Saída. Subterrânea. 4.2. Componentes do ...

Report 1024 Downloads 271 Views
Manual para Execução da Entrada de Serviço

DDI/SCD

Junho/2009

MANUAL PARA EXECUÇÃO DA ENTRADA DE SERVIÇO

MANUAL PARA EXECUÇÃO DA ENTRADA DE SERVIÇO

Versão: junho/2009

MANUAL PARA EXECUÇÃO DA ENTRADA DE SERVIÇO

ÍNDICE

Introdução 1. Padrões Construtivos 1.1. Entradas de Serviço Comercializadas pela Copel 2. Aplicações 2.1. Características dos Materiais 3. Montagem das Entradas de Serviço 4. Características Gerais da Entrada de Serviço 4.1. Componentes do Padrão Construtivo Tipo D – Medição em Poste - Saída Subterrânea 4.2. Componentes do Padrão Construtivo Tipo E – Medição em Poste - Saída Aérea 4.3. Componentes do Padrão Construtivo Tipo 2E – Medições em Poste - Saída Aérea/Subterrânea 4.4. Componentes do Padrão Construtivo Tipo 3E – Medições em Poste - Saída Aérea/Subterrânea 4.5. Relação de Materiais Usados nos Agrupamentos Figuras Figura 1 – Padrões Construtivos de Entrada de Serviço Figura 2 - Faixa Permitida para Construção - Tipos D, E, 2E e 3E - Entradas de Serviço para medição em poste Figura 3 - Faixa Permitida para Construção - Tipos 2E e 3E - Entradas de Serviço para medição em poste Figura 4 – Características Gerais da Entrada de Serviço Figura 5 – Padrão Construtivo Tipo D – Medição em Poste – Saída Subterrânea Figura 6 – Padrão Construtivo Tipo E – Medição em Poste – Saída Aérea Figura 7 – Padrão Construtivo Tipo 2E – Medições em Poste – Saída Aérea/Subterrânea Figura 8 – Padrão Construtivo Tipo 3E – Medições em Poste – Saída Aérea/Subterrânea

i

MANUAL PARA EXECUÇÃO DA ENTRADA DE SERVIÇO

Atualização do conteúdo técnico em junho/2009: incluída observação no padrão 2E, relativa ao padrão construtivo para Poste de Divisa.

ii

MANUAL PARA EXECUÇÃO DA ENTRADA DE SERVIÇO

MANUAL PARA EXECUÇÃO DA ENTRADA DE SERVIÇO Este manual apresenta características e esclarecimentos técnicos às instaladoras contratadas pela Copel para a execução de Entradas de Serviço, conforme Norma Técnica Copel NTC 901100. Também é utilizado no atendimento ao cliente, para demonstração e escolha do padrão de construção de Entrada de Serviço mais adequado, dentre as opções existentes.

1. PADRÕES CONSTRUTIVOS 1.1. Entradas de Serviço Comercializadas pela Copel TIPO D: Entrada de Serviço para medição em poste - saída subterrânea, com tubulação para telefone. TIPO E: Entrada de Serviço para medição em poste - saída aérea. TIPO 2E: Entrada de Serviço para duas medições em poste - saída aérea / subterrânea. TIPO 3E: Entrada de Serviço para três medições em poste - saída aérea / subterrânea.

2. APLICAÇÕES Os padrões de Entradas de Serviço apresentados na Figura 1 são aplicados nos atendimentos para consumidores residenciais, comerciais e industriais. Figura 1 – Padrões Construtivos de Entrada de Serviço

1

MANUAL PARA EXECUÇÃO DA ENTRADA DE SERVIÇO

2.1. Características dos Materiais Os materiais utilizados na construção das Entradas de Serviço deverão estar de acordo com as seguintes características: a) Disjuntores termomagnéticos de 50 A: marcas e modelos aprovados pela Copel; b) Caixas de medição: marcas e modelos de fabricantes aprovados pela COPEL; c) Eletrodutos de PVC: de acordo com a NTC 917000 e/ou NBR 6150; d) Postes de concreto: de acordo com a relação de postes cadastrados para a entrada de serviço; e) Condutores: marcas e tipos aprovados pelo INMETRO.

3. MONTAGEM DAS ENTRADAS DE SERVIÇO a) A construção da Entrada de Serviço deverá ser executada obedecendo, rigorosamente, às características dos respectivos padrões construtivos, conforme NTC 901100. b) Os materiais utilizados deverão ser novos e sem defeito de fabricação. c) A montagem da Entrada de Serviço, compreende: c.1 - Transporte e fixação do poste e fixação dos materiais. c.2 - Instalação e conexão do ramal de ligação à rede de distribuição. c.3 - Conexão do ramal de ligação ao ramal de entrada. c.4 - Instalação e conexão do ram