CONTRA O Aedes aegypti4

4 de dez de 2017 - de dengue em várias regiões do Brasil, com um sério impacto econômico e na qualidade de vida da população. ... e a tosa, com o pelo seco.

TRANSMISSÃO DE DIROFILARIOSE PELA PICADA DO MOSQUITO Aedes aegypti ALÉM DOS RISCOS PARA SUA FAMÍLIA, COMO A DENGUE,O ZIKA VÍRUS E A FEBRE CHIKUNGUNYA, O Aedes aegypti É UMA AMEAÇA TAMBÉM PARA OS PETS. Entre as espécies de mosquitos conhecidas, sem dúvidas, o Aedes aegypti é uma das de maior importância no Brasil. Algumas características desta espécie lhe conferem maior plasticidade e adaptação que favorecem a sua distribuição territorial. Desde a década de 1980, temos acompanhado a ocorrência de epidemias de dengue em várias regiões do Brasil, com um sério impacto econômico e na qualidade de vida da população. Recentemente, esta espécie de mosquito também tem sido responsável pela transmissão de duas viroses emergentes: a zika e a chikungunya1. Além do seu envolvimento na transmissão dessas viroses, o Aedes aegypti pode transmitir uma doença pouco frequente no ser humano, que incide, principalmente, sobre os cães, e também pode afetar os gatos. É conhecida como “doença do coração” ou “dirofilariose” e é causada pela infecção por um nematódeo (verme) pertencente à ordem Spirurida e da família Onchocercidae2, podendo levar o animal à morte. Entre as dirofilárias responsáveis pela dirofilariose, as espécies Dirofilaria immitis e Dirofilaria repens são as mais conhecidas, todavia a primeira é mais comum no Brasil3. O papel dos mosquitos na transmissão deste verme é fundamental, já que os mosquitos são hospedeiros intermediários obrigatórios e que desenvolvem as formas infectivas, que são transmitidas aos novos hospedeiros.

ADVANTAGE MAX3

EFICÁCIA INSETICIDA E REPELENTE COMPROVADA CONTRA O Aedes aegypti4 ESTUDO CLÍNICO Foram avaliados os dados de um estudo controlado em laboratório, realizado com 16 cães. Os animais não receberam aplicação de nenhum medicamento 30 dias antes do estudo e nunca haviam recebido aplicação de inseticidas ou acaricidas. Por randomização, os cães foram divididos em dois grupos de 8 animais. Os grupos foram submetidos a alimentação de fêmeas de Aedes aegypti nos dias 3 e 10, antes do estudo. Dois recipientes telados, contendo 50 fêmeas em cada um, foram colocados na região do membro anterior e região abdominal de cada cão por 30 minutos. Nesse período observou-se alta taxa de alimentação, 64,2% no grupo tratado e 61,95% no grupo controle. Lembrando que nesse período nenhum dos grupos havia recebido aplicação de produto.

AF_SeparataA4_Max3 Estudo Aedes Aegypti.indd 1

AVALIAÇÕES O grupo controle recebeu a aplicação de pipeta contendo 2,5 mL de água e o grupo tratado foi submetido a aplicação de 2,5mL de Advantage Max3, conforme indicação de administração em bula. Seguindo a metodologia descrita, as avaliações de eficácia foram realizadas em diferentes intervalos, conforme tabela de resultados. Após término do período os mosquitos foram avaliados, quanto a alimentação, morte e repelência.

04/12/17 17:42

RESULTADOS

Advantage® Max3 possui eficácia inseticida e repelente contra Aedes aegypti

EFICÁCIA Inseticida 100% 97% 77,80%

Dia 3 Dia 7 Dia 14

Repelente 94,10% 93% 92,80%

• No estudo foi constatado que Advantage® Max3 expulsa e mata o vetor. • Segurança de aplicação de um produto tópico com exclusivo modo de ação, no qual os parasitas não precisam picar para morrer. • Proteção para o pet e para família.

SE

M

7

E

AP

TIR D AR

ANAS

Indicado para cães a partir de 7 semanas de idade.

Pode ser usado em fêmeas gestantes e amamentando.

Pode ser aplicado logo após o banho e a tosa, com o pelo seco.

Exclusivo para cães! Não use em gatos.

MANTENHA ESSE PERIGO LONGE DO SEU PET! REFERÊNCIAS: 1. BayerVet, 13 ed., 2016. • 2. Simón F, Siles-Lucas M, Morchón R, González-Miguel J, Mellado I, Carretón E, Montoya-Alonso JA. Human and animal dirofilariasis: the emergence of a zoonotic mosaic. Clin Microbiol Rev. 2012;25(3): 507-544.