a primavera na cidade-jardim

Nas adja- cências também se encontra a antiga sede do Grande Hotel Maringá, depois. Hotel Bandeirantes, edifício de grande notoriedade. A Praça Dep.

A PRIMAVERA NA CIDADE-JARDIM – RECONQUISTA DOS ESPAÇOS URBANOS E DESENVOLVIMENTO SOCIOECONÔMICO QUESTÕES VIÁRIAS • A Avenida Papa João XXIII funciona como obstáculo em todo o perímetro da Praça da Catedral, tornando os bordos da praça locais pouco atrativos em relação a seu centro, nas proximidades da Catedral. • A Avenida Cerro Azul, que chega à praça pelo sudeste, tem interrupção brusca em suas calçadas e ciclovia, despejando o pedestre e o ciclista que por ali chegam inseguros em relação à transposição da Avenida Papa João XXIII para acesso à praça. Pela Rua Monte Pascoal, que teria potencial de integração da Praça da Catedral com a área do Bosque II, sequer há travessia sinalizada. • Entre as duas praças do conjunto, a Avenida Tiradentes representa nova barreira. A sua travessia é sinalizada em três pontos, contudo, há diferença de nível e de piso, além de o ponto central de travessia ter dimensões exíguas para o que se propõe.

É proposta uma interferência na paginação do piso da Praça Deputado Renato Celidônio, de modo a recriar visualmente o eixo da Rua Arthur Thomas, agora peadonal. Esse mesmo piso seguirá no trecho desta rua entre as avenidas Duque de Caxias e Herval, além das ruas laterais à praça, em frente ao Hotel Bandeirantes e ao Fórum. Esse novo traçado terá uso compartilhado e acesso de automóveis apenas para trânsito local.

O projeto propõe a criação de travessias elevadas, em mesmo material da calçada, em três pontos na Av. Papa João XXIII, junto ao cruzamento com a Av. Cerro Azul e com a Rua Monte Pascoal, e dois pontos de travessia elevada sobre o Eixo Monumental, na travessia da Av. Tiradentes e Av. XV de Novembro. Essas travessias são a mais eficaz, fluida, gentil e segura forma de dar continuidade e naturalidade a caminhos pedonais em travessia, uma vez que a mudança de piso, o desnível e a falta da sinalização tradicional fazem com que o motorista reduza sua velocidade, estabeleça contato visual e dê a preferência. Mais do que isso, contribui para romper com o imaginário coletivo de que o espaço da rua é sinônimo de espaço carroçável e, portanto, proibido ao pedestre.

• Nas laterais da Praça Dep. Renato Celidônio, os dois bolsões de estacionamento funcionam como barreiras na relação da praça com os edifícios adjacentes, além de interferirem negativamente na própria imagem dos prédios, transformando seu principal acesso e ponto de vista em área “de serviço”. Isso ocorre com maior gravidade na frente do Hotel Bandeirantes. • A interrupção total da Rua Arthur Thomas pelo piso da praça prejudica a compreensão daquele espaço como um lugar único e acolhedor. Esse fenômeno é agravado pelo fato de a rua ter se transformado também em bolsão de estacionamento, em seu trecho em frente à Prefeitura. • Na Avenida XV de Novembro e em toda travessia de avenida transversal ao eixo, repetem-se as colocações feitas em relação à Avenida Tiradentes. Neste caso, há o caráter de barreira em relação à continuidade do espaço do pedestre, que é intensificado pelo grande bolsão de estacionamento, exatamente no eixo, que contribui negativamente tanto para a segurança quanto para a leitura do conjunto.

Centro Cívico e Religioso: Praça da Catedral e Praça Deputado Renato Celidônio ANIMAÇÃO E DIVERSIDADE

MATERIAIS E TEXTURAS

Os espaços públicos compreendidos pela Praça da Catedral e pela Praça Deputado Renato Celidônio integram-se aos edifícios públicos mais importantes do município, como a Prefeitura, a Câmara de Vereadores e o Fórum, além da icônica Catedral Basílica Menor Nossa Senhora da Glória. Nas adjacências também se encontra a antiga sede do Grande Hotel Maringá, depois Hotel Bandeirantes, edifício de grande notoriedade.

Neste trecho temos a grama, na forração da Praça da Catedral, o revestimento cerâmico esmaltado, no piso da Praça Dep. Renato Celidônio, e o concreto, da Catedral monumental e do obelisco do centro de convivência, além dos calçamentos cimentícios e de blocos intertravados também presentes em trechos de calçadas.