002. prova escrita - Qconcursos.com

NÃ. O. ESCREVA. N. ESTE. ES. P. A. Ç. O. Page 3. 3. PMES1203/002-AlunoOficial-PM-tarde. NÃO ASSINE ESTA FOLHA. REDAÇÃO. Para produzir seu texto ...

de

Provas

e

Títulos

Assinatura do Candidato

Concurso Público

bacharelado em ciências policiais de segurança e ordem pública curso de formação de oficiais da polícia militar do estado de são paulo

002. Prova escrita (Parte II)

Aluno Oficial – PM Você recebeu este caderno contendo um tema de redação a ser desenvolvido. Confira seu nome e número de inscrição impressos na capa deste caderno. Quando for permitido abrir o caderno, verifique se ele está completo ou se apresenta imperfeições. Caso haja algum problema, informe ao fiscal da sala.

05.08.2012 | tarde

Aluno Oficial – PM

de

Concurso Público

aguarde a ordem do fiscal para abrir este caderno.

Provas

e

Até que você saia do prédio, todas as proibições e orientações continuam válidas.

(Parte II)

Ao sair, você entregará ao fiscal este caderno.

Títulos

Só será permitida a saída definitiva da sala e do prédio após transcorridos 75% do tempo de duração da prova.

002. Prova escrita

A duração da prova de redação é de 2 horas, já incluído o tempo para o texto definitivo.

bacharelado em ciências policiais de segurança e ordem pública

Redija o texto definitivo com caneta de tinta azul ou preta, no espaço reservado para tal. Os rascunhos não serão considerados na correção. A ilegibilidade da letra acarretará prejuízo à nota do candidato.

curso de formação de oficiais da polícia militar do estado de são paulo

Assine apenas no local indicado na capa; qualquer identificação feita pelo candidato no corpo deste caderno acarretará a atribuição de nota zero à redação.

NÃO ESCREVA NESTE ESPAÇO

REDAÇÃO Para produzir seu texto argumentativo, leia atentamente o que segue.

Texto III Polícia e Igreja

Texto I

As associações religiosas das forças de segurança pública PMs de Cristo Corporação: Polícia Militar Líder: Capitão Joel Rocha Tempo de existência: Vinte anos Número de integrantes: 1 470 Frequência dos encontros: Diária Policiais de Jesus Corporação: Polícia Civil Líder: Delegado Luís Gabriel Garcia Tempo de existência: Três anos Número de integrantes: Cem Frequência dos encontros: Quatro vezes por semana

(civitati.blogspot.com)

União dos Delegados Espíritas de SP Corporação: Polícia Civil Líder: Delegado João Crusca Tempo de existência: Treze anos Número de integrantes: Cinquenta Frequência dos encontros: Mensal

Texto II Policiais organizam-se em grupos religiosos para buscar apoio espiritual Fundado há três anos pelo escrivão Artur Juliano e pelo delegado Luís Gabriel Garcia, o grupo Policiais de Jesus organiza reuniões para acalentar esses profissionais, com orações e pregações da Bíblia, pelos dramas que eles enfrentam. Os cultos são realizados quase todos os dias em quatro departamentos da corporação: uma vez por mês, eles se juntam na Câmara Municipal. Um dos discípulos de Garcia é Nadivaldo de Rossi, delegado no 101.º Distrito Policial. Ele tem frequentado as reuniões há dois meses em busca de paz espiritual: “preciso do apoio para não me transformar em um ser humano truculento e impiedoso”, afirma. Para ajudarem a conviver com o estresse, os cultos abordam os percalços específicos e inerentes à atividade policial. “Os agentes se sentem mais à vontade para conversar comigo sobre seus problemas porque eu também ando armado e lido com bandidos”, acredita Garcia. O trabalho é inspirado no de outra entidade, a PMs de Cristo, que reúne 1 470 associados e completa vinte anos de existência em junho. “Nosso sonho é que surjam grupos semelhantes também na Polícia Federal e na Guarda Municipal”, diz o cabo Valdir Alves, que é pastor da Igreja Evangélica Cristã Presbiteriana. Apesar da proliferação, movimentos desse tipo não são abençoados por especialistas no a