001. prova objetiva - Questões de Concursos

1 de set de 2013 - Deverão permanecer em cada uma das salas de prova os 3 últimos candidatos, até que o último deles ... ideal para você, pai – garantiu ela.

governo do estado de são paulo

secretaria da justiça e da defesa da cidadania Fundação Instituto de Terras do Estado de São Paulo “José Gomes da Silva” – Fundação ITESP

Concurso Público

001. Prova Objetiva

Auxiliar

de

Auxiliar

Gestão Organizacional – Atividades Operacionais Administrativas

de

Gestão Organizacional – Expediente Administrativo

e

Telefonia

� Você recebeu sua folha de respostas e este caderno contendo 40 questões objetivas. � Confira seu nome e número de inscrição impressos na capa deste caderno e na folha de respostas. � Quando for permitido abrir o caderno, verifique se está completo ou se apresenta imperfeições. Caso haja algum problema, informe ao fiscal da sala. � Leia cuidadosamente todas as questões e escolha a resposta que você considera correta. � Marque, na folha de respostas, com caneta de tinta azul ou preta, a letra correspondente à alternativa que você escolheu. � A duração da prova é de 3 horas, já incluído o tempo para o preenchimento da folha de respostas. � Só será permitida a saída definitiva da sala e do prédio após transcorridos 75% do tempo de duração da prova. � Deverão permanecer em cada uma das salas de prova os 3 últimos candidatos, até que o último deles entregue sua prova, assinando termo respectivo. � Ao sair, você entregará ao fiscal a folha de respostas e este caderno, podendo levar apenas o rascunho de gabarito, localizado em sua carteira, para futura conferência. � Até que você saia do prédio, todas as proibições e orientações continuam válidas.

Aguarde

a ordem do fiscal para abrir este caderno de questões.

01.09.2013

03. Em – ... pensavam em uma mesa farta. (4.º parágrafo) – pelo termo destacado, entende-se: pensavam em uma mesa

COnhecimentos gerais Língua Portuguesa

(A) com pouca comida.

Leia o texto para responder às questões de números 01 a 12.

(B) de tamanho adequado.

Juvenal, derrotado na eleição para deputado, ficou deprimido porque havia gasto todas as suas economias. E agora, desempregado, enfrentava o problema de arranjar dinheiro. Sem falar nas reclamações de Cinira, sua mulher: isso era o que mais o perturbava, fazendo com que se sentisse um cidadão inútil. Certo dia, tinha ido até a casa do vizinho Luís conversar com o filho dele, Ari, já com dor de cabeça de tanta irritação, e então sua filha Nice apareceu com um anúncio inesperado: estava aberto o concurso para Rei Momo do Carnaval. É um bom cargo, ideal para você, pai – garantiu ela. Você é alegre, gosta de samba. Será uma compensação: os eleitores rejeitaram sua eleição e você responderá tornando-se rei. Juvenal sentiu aversão pela ideia, ponderou que não se tratava da mesma coisa. Como deputado, teria quatro anos de mandato e ganharia bem. Como Rei Momo, tudo terminaria na Quarta-Feira de Cinzas. Além disso, havia um obstáculo, conforme o anúncio: embora fosse gordinho, pesava apenas 125 quilos. Faltavam-lhe, portanto, cinco quilos para chegar ao peso mínimo exigido no concurso. A mulher e a filha não se deram por vencidas. – Nós vamos engordar você, prometeram. Animado por elas, Juvenal decidiu tentar, ainda que o tempo trabalhasse contra ele. Faltavam poucos dias para a inscrição ao concurso, mas dedicou-se ao regime de engorda. E era toucinho, e doce de caldas, e macarronada. – Não posso mais, gemia Juvenal. Nice não concordava, Cinira lembrava o tempo em que passavam fome e pensavam em uma mesa farta. Com o que ele voltava a empunhar o garfo e a faca. Mas a balança não parecia corresponder a tal esforço. “Quem sabe ele esconde uns pesos embaixo da roupa” – sugeriu Marli, sua tia. A ideia não era má, mas, e se exigissem que tirasse a roupa? Não, não poderia correr o risco. Finalmente Juvenal conseguiu chegar ao peso mínimo necessário, exatamente no dia do concurso. Dirigiu-se ao local do exame, porém não foi aprovado. A balança dos juíze